Título meio forte para um post, eu sei. Mas, nos últimos anos, essa pergunta me massacra, me inquieta, me faz chorar. Eu tento afastar o pensamento da cabeça, mas ele insiste em voltar. Hoje meu pai faz 76 anos. Está inteiraço, apesar de ter o coração todo remendado. Eu e a minha mana achamos que ele irá mais longe que todos nós, mas estou vendo muitos amigos da minha idade se despedindo dos seus pais e mães. A ficha começou a cair devagarinho e eu achei que deveria me preparar: não são mais muitos aniversários que eu vou passar com o “véio Plínio”.

Meu pai é um grande contador de histórias, escreve poesias, tem uma vida cheia de emoções. Quando a gente se vê ele me conta as mesmas histórias sempre. Lá pelos meus 20 e poucos eu largava uns “pai, o senhor já me contou isso”. Hoje, quando ele começa a recitar poemas, falar de quando era criança, eu viro discretamente o celular para ele e gravo em vídeo. Sem ele ver. Sem ele saber. É que eu tenho medo de esquecer de alguma dessas histórias um dia. E elas são tão especiais que merecem passar por gerações e gerações na minha família.

“Ah, mas só pensa no teu pai?”. 

Não. Perder a minha mãe seria igualmente desolador. Mas o pai é (lá vem clichê) meu melhor amigo. Eu sou parecida com ele, física e psicologicamente falando. Dizem que somos o focinho um do outro. Vocês podem avaliar abaixo.

Nunca deixei de curtir os momentos com o meu pai. Não tenho nenhuma urgência de mudar meu comportamento e me esforçar para passar mais tempo com ele para não me arrepender depois. Estou bem nesse quesito. A gente se fala por telefone, a gente bebe cervejas e vinho juntos, a gente passa horas conversando (na real, ele falando e eu ouvindo – eita, homem que gosta de falar), a gente samba, a gente se joga em piscinas de bolinhas. A gente ri mais do que o normal.

WhatsApp Image 2017-12-06 at 11.55.10-2

WhatsApp Image 2017-12-06 at 11.55.13

 

Não sei mais como afastar o tal pensamento sobre uma despedida dele ali na frente. Não sei se todo mundo que tem pais com idade mais avançada já passa ou passou por isso. Que grande porcaria é ter esse sentimento. Que grande *m é não conseguir correr com ele da minha cabeça e substituir pelos momentos bons.

Eu simplesmente não sei como.