Microagulhamento: certamente a pior dor que eu já senti (ainda não tive a dor do parto, então me deem um desconto). Pega aquela dor de depilar a virilha com cera e multiplica por 100. Doeu tanto que em alguns momentos eu tinha vontade de desistir. Poooorém nem tudo é desgraça. Passada a dor do cão, o resultado foi ótimo. 

Microagulhamento é aquele procedimento feito em estética ou no consultório da dermatologista que usa um aparelhinho que vai furando a pele. E enquanto fura, ele vai depositando produtos que ajudam a melhorar o aspecto da pele. Uma forma mais efetiva de fazer os ativos penetrarem, coisa que nem todos os cremes conseguem.

Algumas pessoas chamam o microagulhamento de “vampire facelift”, pois no fim dele a gente fica com a pele toda vermelha de sangue. Óbvio, né? Se a gente fura a pele, sai sangue. Quem acompanha a minha musa Kim Kardashian já deve ter visto uma selfie que ela tirou depois de passar pelo procedimento. Se não viu, tá ali em cima o reminder.

A gente sai assim mesmo da estética. Eu tive que dizer para o motorista do Uber não estranhar a minha aparência. Eu não tinha tomado uma surra, mas feito um tratamento de pele.

Por que eu fiz microagulhamento? Por causa das minhas manchinhas na pele. Sabe aquelas manchas de sol que ficam meio escuras? Até então os peelings não tinham dado retorno. E também porque a minha pele estava grossa, sem vida.

Dói. Dói. E dói. Dói especialmente nas áreas onde a gente tem mais ossos, tipo a testa. Nas bochechas a dor é até suportável. Quem é bem sensível à dor tem que levar isso em conta, viu?

Agora os resultados: passados alguns dicas, minha pele ficou uma seda. Os furinhos cicatrizam rápido (pelo menos comigo foi assim). E aquelas manchinhas reduziram bastante a cor. Antes eu precisava atochar um monte de corretivo para tapar. Hoje, só a base já ajuda.

O microagulhamento também é chamado de Derma Roller. Na verdade, esse é o nome do aparelhinho. Em algumas farmácias até tem para vender, mas a agulha é menor, dói menos e sem a orientação de um profissional não é nada recomendável.

Há diferentes tamanhos de agulhas. As maiores (cerca de 1 centímetro, se bem me lembro), perfura mais fundo. Dói mais. Eu não fiz com essa.

Se a dor compensa? Hummm, nas semanas após fazer eu jurava de pés juntos que nunca mais passaria perto do microagulhamento. Mas agora, pensando em como foi o resultado, estou pensando em refazer (já avisando antes as meninas da estética que vou fazer um fiasquinho básico).

Dá para usar maquiagem tranquilamente alguns dias depois. Mas eu nem fiquei com vontade (e olha que eu acordo e já saio passando base). A pele ficou realmente macia, mais iluminada. Enfim, fica aqui esse relato de leiga, só contando a minha experiência. Falar com a dermato é, sem dúvida, a melhor forma de decidir fazer ou não e saber mais sobre a eficácia.